Falar uma segunda língua pode mudar a sua forma de ver o mundo

Renata Madureira

Muitas pessoas argumentam que não precisam se esforçar para aprender um segundo idioma, pois não acreditam que seja útil na sua vida diária, será que falar uma segunda língua faz a diferença na sua vida?

Já ouvi pessoas afirmarem que não precisam aprender inglês pois quando viajam sempre dão um jeito de se virar no país estrangeiro, essa é porém uma visão que limita muito sua perspectiva e interação com o mundo. A experiência de viajar para um país estrangeiro sem conseguir se comunicar eficientemente não é tão rica como quando se tem a oportunidade de conversar e fazer novos amigos sem precisar recorrer a mímicas e tradutores, afinal, nem sempre é fácil encontrar alguém que fale português ou mesmo espanhol para facilitar a comunicação. Seja para resolver um problema específico, entender uma atração turística como uma apresentação ou um show ou mesmo ler placas e sinais na língua estrangeira a interpretação correta pode fazer toda a diferença.  E que tal viajar sem ter que pagar extra pelos pacotes turísticos para brasileiros e explorar novos lugares que mostram a cidade e as pessoas de verdade longe da maquiagem dos pontos turísticos?

Cientistas têm debatido se a língua mãe molda a sua forma de pensar desde 1940. Essa ideia volta à tona nas últimas décadas, desde que um grande número de estudos sugere que a língua pode levar falantes a prestar mais atenção a certos aspectos do mundo. No estudo ” Two languages, two minds: Flexible Cognitive Processing Driven by language of operation”, os autores concluem que ter uma segunda língua lhe dá uma visão alternativa do mundo, Athanasopoulos diz ” Você pode ouvir música de um alto falante ou pode ouvir em stereo… é o mesmo com a língua.” A aquisição de uma nova língua proporciona novas experiências e abre um leque, não apenas para as oportunidades de ascensão profissional e acadêmica mas também para um mundo de novas interações e conhecimento.

Aprender uma nova língua o prepara para a aventura de se aprofundar na cultura do outro, entender melhor a maneira de agir e compreender o mundo de nativos dos  mais diversos países. Essa troca nos permite um fluxo de informação e descobertas que mudam a forma como agimos e pensamos enriquecendo nossas vidas. A dois anos atrás quando fui a um casamento de uma prima na França encontrei uma amiga em comum que mora na Espanha e fala fluentemente o espanhol mas não o inglês, nem Francês. Eu falo inglês, arranho mal no espanhol e nada de francês mas consegui me comunicar bem com os parentes do noivo e amigos ( todos falavam inglês). Durante a festa minha amiga arranjou um admirador francês mas eles mal conseguiam se comunicar dificultando muito uma maior aproximação. Essa pequena história ilustra o que penso: uma segunda língua é muito importante e faz sim a diferença, mas se for escolher apenas uma para aprender, FALE INGLÊS, em diversos países se fala inglês como segunda língua. Essa é a língua internacional dos dias de hoje.