6 razões pelas quais você não deve esperar a adolescência para colocar seu filho no inglês

151014093034-graham-mcgeorge-exlarge-169

Todos já sabem que  o aprendizado de inglês na infância é melhor e que é bem mais fácil aprender desde cedo, mas ainda existem pais que acreditam que mais tarde é melhor.Portanto destaquei 6 motivos relevantes para começar o aprendizado de um novo idioma antes da adolescência:

1. As crianças arriscam mais 

É essencial arriscar  para aprender uma nova língua, falar mesmo que erre,  Já imaginou aprender um esporte sem tombos ou dores no corpo? As crianças não tem tanto medo de errar, pois ainda não adquiriram certos traumas e medos e portanto arriscam muito mais.

Elas são capazes de abstrair e cair na fantasia sem racionalizar demais sobre os padrões da nova língua, aceitam sem muitos questionamentos que o professor fale só inglês, porém a medida que crescem vão se limitando e se retraindo mais, se tornando mais críticos de si mesmos.

Crianças tem menos inibições, se soltam na aula, falam, cantam e experimentam muito mais do que os adolescentes que estão numa fase muito crítica de si mesmos onde a timidez faz com que eles tenham muito medo de errar e “pagar mico ” em frente dos colegas.

2. Crianças aprendem sem sotaque

Todos sabem e os cientistas já provaram através de estudos que quanto mais cedo melhor é a habilidade de aprender idiomas. Mas poucos sabem que o fato da criança ainda nem ser alfabetizada ajuda para que ela não tente aplicar na nova língua os sons e padrões da sua língua nativa. Se ela aprender bem cedo ao começar a ler e escrever em inglês, o que geralmente ocorre a partir de 7 anos, ela já terá se acostumado aos sons das palavras em inglês e não terá a tendência de ler de forma “aportuguesada”. Os sons do alfabeto em inglês são diferentes e quando ela aprende bem pequena saberá diferenciar um e outro na hora da leitura.

Se ela não aprendeu desde bem cedo , ela precisará se esforçar mais para aquirir boa pronúncia. Na adolescência fica mais difícil porque aí ela passa a racionalizar demais e tende a comparar os sons da nova língua com seu idioma nativo.

3.Rebeldia na adolescência

Na International Idiomas temos muitos alunos que começaram desde cedo e por isso acompanhamos de perto as mudanças naturais que vem com a chegada da puberdade. Aquelas crianças atentas, obedientes, e motivadas quando chegam a adolescência muitas vezes se tornam rebeldes e distraídas. Por isso quando temos a oportunidade de formar a base da língua antes da adolescência, sabemos que ele vai aprofundar e estruturar a parte gramatical de forma mais consistente e efetiva nas classes “teens”.

A parte mais sensível de compreensão do idioma e assimilação de padrões de pronúncia eles já adquiriram. Além disso é mais fácil para os pais controlarem o horário e atividades de uma criança com menos de 12 anos do que convencer um adolescente. O adolescente tentará e quase sempre terá êxito em convencer os pais com argumentação extensiva de que não precisam estudar ou que querem parar o curso , mesmo que sua verdadeira e maior motivação seja ficar mais tempo no computar jogando seu joguinho favorito. Além disso ainda tem a fase dos primeiros amores, é normal para adolescentes que se apaixonam pela primeira vez dedicarem todo o seu tempo para essa nova paixão, deixando muitas obrigações de lado.

Mesmo sendo mais velhos, adolescentes nem sempre têm maturidade suficiente para entender a longo prazo a necessidade do novo idioma, seja para sua futura vida profissional, acadêmica ou social.

4. Fluência no idioma

Mesmo que existam por aí inúmeras propagandas que prometem que o seu filho vai falar um novo idioma em pouco meses sem esforço, na realidade,  novas habilidades exigem tempo e esforço. Para adquirir fluência num novo idioma, ( a não ser que seja por imersão, morando em país estrangeiro) são necessárias várias horas de estudo. Até mesmo num país estrangeiro ele aprende rápido porque está exposto ao novo idioma 24h por dia, isto é, todo o meio em que se encontra é aprendizado. Um curso de duas vezes por semana não trará fluência em poucos meses, digo isso com a experiência de quase 20 anos ensinando e trabalhando nessa área.

Muitos pais alegam que o garoto que entrou depois com mais de 12 anos demorou o mesmo tempo para formar que seu filho. O que realmente acontece é que se ele começa durante a infância ele vai passar a primeira fase do aprendizado do novo idioma que é de entender o professor falando uma nova língua e assimilando sons de maneira  natural e espontânea, quando ele chega a adolescência o material usado será de consolidação da língua estrangeira, formando principalmente a estrutura gramatical da língua, essenciais para a expressão escrita e uma oralidade mais elaborada.

Os alunos que iniciam o inglês na infância possuem um vasto vocabulário, enquanto que os que começam mais tarde, precisam se esforçar mais para correr atrás do prejuízo já que os materiais de adultos e adolescentes são mais complexos.

Caso ele inicie na adolescência tudo deverá ser feito junto, justamente numa fase que já não é tão fácil assimilar naturalmente e sem racionalizar, fazendo com que a língua seja adquirida mas a fluência pode não ser tão perfeita.

Então não se engane, se nós passamos a vida inteira aprendendo o português e ainda assim cometemos erros, por quê tem gente que acredita na falácia de que vai ficar fluente em inglês em poucos meses de cursinho 2x por semana?

5. O aprendizado adquirido de forma natural e lúdica é aquele que mais marca

Aprender através da fantasia e brincadeira é a melhor forma de aprender. As crianças aprendem de forma mais lúdica, com música, brincadeiras, projetos e a gramática é trabalhada de forma menos estruturada do que com os adolescentes. Trabalhar de forma diferenciada, com material lúdico e apropriado é a melhor maneira de ensinar crianças.

Existem materiais infantis e materiais para adolescentes. A formatação das aulas e materiais devem ser diferenciados devido aos diferentes níveis de interesse e forma de aprender de cada idade. Os materiais para adolescentes têm ênfase na gramática pois eles vão precisar mais já que para a escola e testes como PAS e ENEM vão necessitam desse conhecimento para resolver questões e interpretar textos mais complexos.

Não acredite em um método que não diferencie muito bem a metodologia para as diferentes faixas etárias. Muitas franquias criam um método para adultos e simplesmente “adaptam” para crianças para não perder essa parcela de clientes. O material infantil vira uma cópia maquiada do material chato dos adultos. Usar esse tipo de método não desenvolvido especialmente para os pequenos, é ignorar a melhor fase da criança para aprender e desperdiçar uma oportunidade de fazer com  que essas crianças atinjam o máximo do seu potencial.

Um material igual para todas as idades pode ser mais lucrativo para as franquias que apostam na padronização e comercialização  do seu material “exclusivo” mas não atende de forma apropriada às crianças que acabam perdendo com essa padronização.

6. Terminar o curso de idiomas na hora certa

Justamente naquela fase quando mais necessitam o domínio do inglês , eles já vão estar se formando. Os alunos que começam cedo quando chegam na faixa dos 14 a 15 anos podem estar se formando com um excelente nível de qualidade e aproveitamento. Nessa fase quando vão começar a fazer os principais testes para entrar na universidade como PAS e ENEM, vão estar bem mais preparados pois todos nós sabemos que as provas de línguas são essenciais e alunos que ainda estão no nível básico terão muito mais dificuldade na resolução de questões.

Além disso a partir dessa fase os estudos ficam mais apertados e os alunos têm menos tempo para se dedicar a atividades extracurriculares. Com o início da faculdade a partir do 17 anos ou mesmo vida profissional a vida vai ficando mais e mais corrida pois as responsabilidades aumentam muito o que dificulta ainda mais a formação adequada.