Cadê o BRASIL bilíngue?

Enquanto no passado cursos de idiomas tradicionais falharam não dando ênfase à necessidade prática e real do uso da língua estrangeira fora dos livros didáticos, as novas franquias de ensino que surgiram e se multiplicaram ao longo de 3 décadas também falharam e o sonho do Brasil bilíngue nunca chegou.

Era de se esperar que depois de mais de 30 anos de funcionamento os métodos criados pelas grandes franquias de idiomas no Brasil já tivesse  algum tipo de validação além do engenhoso e eficiente produto de marketing, porém constatamos hoje que esse resultado nunca aconteceu , eles falharam em trazer  uma metodologia diferenciada para as diferentes faixas etárias pois métodos baseados na memorização e repetição criados para adultos não envolve crianças e adolescentes. A maioria dos alunos jovens desistem no meio do caminho ou simplesmente esquecem o que aprenderam pois aprende quem é envolvido no aprendizado. 

Famosas franquias que surgiram desde o final da década de oitenta e que vem crescendo em unidades, ainda hoje prometem tornar o Brasil um país bilíngue mas as estatísticas provam que elas falharam em resultados efetivos, o Brasil continua com uma população de apenas 5% de pessoas fluentes em inglês (dados do conselho britânico).

Mesmo tendo falhado em transformar o Brasil num país bilíngue, elas continuam a se multiplicar com novas marcas surgindo, com promessas e propostas bem semelhantes, apenas mais do mesmo.

Cursos de inglês de métodos tradicionais são bastante criticados pelas franquias e ficaram marcados pela sua propaganda incisiva que os acusam de ter metodologia focada apenas na gramática. Eles perderam alunos e lutam bravamente para permanecer no mercado onde a maioria das pessoas já não querem dedicar o tempo necessário para aprender uma habilidade pois acreditam que em pouco tempo e sem esforço conseguirão seus objetivos. Porém eles não estariam perecendo se alguma razão não existisse nas críticas, com poucas oportunidades de prática real para seus alunos eles também não conseguiram aumentar a fluência dos brasileiros.

Então qual seria  a melhor solução para um problema que se estende por tantos anos atrasando o aprendizado do ensino de idiomas?

Uma junção das melhores práticas do que estiver dando certo, humildade para corrigir erros e acima de tudo uma inovação fundamental nos dias de hoje a prática real e totalmente possível de língua estrangeira através das ferramentas de tecnologia.